Total de visualizações

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Comi a comida
Mas notei que a fome era outra
Eu também queria um cigarro e senti sede
Mas vi que era saudade
Era aquela vontade de ter o que não se possui
Era um desejo descontrolado
Uma nuvem intocável
E foi a maldita fumaça daquele cigarro que criou

Lara Lii
Arranca esses olhos covardes
Tira deles esse egoísmo coletivo
De pensar por si, que é só
Tira essa venda pintada de luz
Que tua solidão não ilumina a escuridão
Cor é soma
Mistura
E união
Um pincel seco não lhe serve pra nada
Nem esse teu vestido estampado de papelão

Lara Lii
"Homem ao mar!" - ela gritou
Referindo-se ao seu ex namorado
(aquele babaca), que tentou naufragar os seus sentidos.
Lara Lii
"Quanta bobagem!" - ela disse
Eu não me importo de perder você
Depois de você ter me perdido!
Lara Lii
Você reclama dos dias nublados
E não vê que o sol está sempre por de trás das nuvens
Eu sou a luz que entra pela sua janela
Sou o desenho interessante que ela forma ao entardecer
Abra logo essas cortinas 
Me assista anoitecer
Lara Lii
Foto: Lara Lii

Por vezes me calço e saio andando por ai vestindo o meu look favorito; o nada.
Lara Lii

As asas da liberdade encontram-se no âmago de uma alma perdida, que vaga sozinha e desconhece qualquer caminho.
Quem toca o vento com as mãos, se torna o enigma do furacão que a borboleta criou sem destino...
Lara Lii

terça-feira, 6 de setembro de 2016